Páginas

domingo, 22 de março de 2015

O jornal como proposta pedagógica !


O jornal é um meio de comunicação impresso, geralmente um produto derivado do conjunto de atividades denominado jornalismo. As características principais de um jornal são: o uso de "papel de imprensa" - mais barato e de menor qualidade que é utilizado por outros materiais impressos; a linguagem própria - dentro daquilo que se entende por linguagem jornalística; e é um meio de comunicação das massas - um bem cultural que é consumido pelas massas. Os jornais têm conteúdo genérico, pois publicam notícias e opiniões que abrangem os mais diversos interesses sociais. No entanto, há também jornais com conteúdo especializado em economia, negócios ou desporto, entre outros. A periodicidade mais comum dos jornais é a diária, mas existem também aqueles com periodicidade semanal, quinzenal e mensal.
Qual é a importância do uso do jornal como ferramenta pedagógica?
O jornal pode ser um ótimo instrumento para contextualizar o conhecimento do aluno. O jornal está comprometido com o momento histórico-social por relatar os fatos do dia-a-dia. Apresenta opiniões e possibilita ao leitor a reflexão e o questionamento. O jornal orienta e redimensiona o entendimento da realidade, o que diz parece ser a absoluta verdade.
Ao utilizar o jornal, o professor deve inter-relacionar as disciplinas, através de uma proposta interdisciplinar, possibilitar o questionamento por parte do aluno, ao ter contato com a realidade transmitida pelo jornal. As aulas tornam-se mais dinâmicas, provocadoras e participativas por parte do aluno, proporcionando discussões em sala de aula para produzir uma nova concepção e visão das coisas que acontecem no mundo.
É a possibilidade de formação da cidadania dos alunos, a partir do momento que há interação com a comunidade, que faz parte de sua história e cultura, traz influencia na relação com a família, com a escola, com a igreja e com o Estado. Assim é fundamental que pense na produção jornalística como produção de palavra. Não é um ato inocente, é uma cadeia de significante e significado. Pode criar novas realidades, pode dar novo sentido à realidade da vida humana. O objetivo é possibilitar ao educando o desenvolvimento de sua capacidade de compreensão e redimensionamento da existência.
Trabalhar com o jornal em sala de aula é utilizar um recurso gerador e provocador do conhecimento, é uma dinâmica que possibilita ao educando interagir com seu momento histórico-social. Assim não se cria indivíduos somente para atuar no mercado de trabalho, mas pessoas sensíveis aos projetos de desenvolvimento de seu país, cidade, enfim, pessoas atentas à sua condição de cidadania.
Nem todos os professores compartilham desta proposta de ensino, pois estão habituados a trabalharem apenas com o material didático a ser utilizado em sala de aula, conforme o conteúdo programático pré-estabelecido. Agir de forma inovadora e ampliar as possibilidades faz o educador mudar sua postura, e também ser diferente como pessoa.
Para os tempos atuais, a escola como instituição deve promover o surgimento de um novo profissional, mas infelizmente o que se vê, é tanto na área cognitiva, como ideologicamente padrões anacrônicos, que não desperta o interesse do educando.
Segundo Idmeia S. Siqueira, professora de linguística e semiótica, o homem atual precisa ser desautomatizado, sensibilizado para ler crítica e criativamente os diversos tipos de mensagens. É na apreensão do conhecimento e do mundo, que se produzir a reflexão. A escola deve abrir suas portas e janelas para o mundo da leitura, que possibilite a relação com os diversos imaginários, viabilizando uma nova dimensão de estar no mundo. O mundo contemporâneo deve preocupar-se em gerar sentido e estimular a cidadania, motivando o potencial de dignidade e amor pela vida.
O importante é buscar o bem comum, e essa busca só sedimenta-se através de uma educação que gere a busca de sentido. O educar é dar sentido e possibilitar a significância do ser humano. Segundo Paulo Feire, o homem deve aprender a falar sua própria palavra e não apenas repetir a do outro.
Hoje está superada a escola, que apenas se preocupa em repassar o conhecimento, reprodutora de padrões ultrapassados, de preconceitos, pouco preocupada com a formação integral do indivíduo, e principalmente com a sua capacidade crítica e reflexiva.
O jornal como proposta pedagógica representa a possibilidade de uma leitura transformadora, na qual o educando pode encontrar o sentido de sua subjetividade, e sua capacidade de mudança e significado. É a oportunidade do aluno, de comunicar-se com a sua comunidade. A educação torna-se um veículo dinâmico de transformação social.
O professor deve proporcionar ao aluno um ambiente de descobertas, de trocas, de inserção na realidade, e o jornal pode ser uma grande descoberta, que torne o futuro do aluno mais amplo para as possibilidades da vida.


 
 
 
 
Postar um comentário