Páginas

sábado, 19 de julho de 2014

Somos o que comemos ?


         Até onde iremos viver ou sobreviver no mundo industrializado?
         A longevidade se faz por um caminho natural, mais próximo da realidade animal do Homem, e hoje estamos imersos a inúmeras facilidades que não nos garante qualidade de vida e uma vida saudável. A artificialidade impera no modo de vida contemporâneo.
         Será que podemos escolher um caminho?
         Parece-me que sim, existem estudiosos que defende a possibilidade de se ter um hábito alimentar mais saudável, para que possamos ter uma longevidade com qualidade e saúde.
         Onde um habito alimentar faz uma interseção com filosofia?

“Eu me interesso pelo futuro porque é lá que
passarei o resto da minha vida.”
(C. E. Kettering)

         Viver o presente sem fazer uma reflexão sobre o provável futuro que quer está vivendo, é como viver uma vida e não fazer uso da capacidade de raciocinar, sonhar e criar. E como somos animais de hábitos, para darem a falsa sensação de estabilidade, mudar um hábito exige um grande esforço da própria pessoa. Como o que move nosso comportamento são as nossas ideais, fica uma pergunta:
         O que você pensa sobre o seu hábito alimentar?

“O bom senso é o que há de mais bem distribuído
 no mundo, pois cada um pensa
estar bem provido dele.”
(René Descartes)

         Logo abaixo está o endereço de um vídeo que pode instruí-lo sobre como adquirir uma alimentação saudável em meio a tanto ruído e propaganda, que está comprometida com os padrões e níveis de consumo, do que com a edificação de uma sociedade organicamente saudável.
         Caso após ver o vídeo, você reconheça que tem que mudar o hábito alimentar, já será um grande passo, que depende única e exclusivamente de você.

“Fazemos nossos caminhos e lhes
chamamos destino.”
(Benjamin Disraeli)
 
 
  
Postar um comentário