Páginas

sexta-feira, 18 de julho de 2014

Marxismo Cultural e Revolução Cultural Uma Sutil Mudança !


         Podemos não acreditar, mas são as ideias que movimentam a vida, o mundo. De onde nascem as correntes filosóficas que modelam as políticas e formatam práticas morais e éticas. É o mundo das ideais que se manifesta de forma material no mundo sensível, através de uma práxis.
         Alienado ou não, comprometido ou não estamos imersos as formas de pensar, as formas de crer, as formas de agir que são os reflexos do mundo das ideias encarnado no mundo sensível. Para constatarmos a força desta afirmação, é só fazermos um exame de consciência, uma reflexão e buscarmos os princípios de nossas crenças, forma de pensar e julgar o mundo.

“Nós podemos tentar deixar de fazer escolhas
ao não fazer nada, mas mesmo isso
é uma decisão.”
(Gary Collins)

         Hoje se faz necessário, que tenhamos o conhecimento do que se passa ao redor de nossas vidas. Existe uma silenciosa revolução cultural capaz de mudar nossas vidas, mudar a práxis dos valores éticos e morais ao redor do mundo.

“A sabedoria começa na reflexão.”
(Sócrates)

         Em um momento da história humana o Homem terá que tomar uma decisão existencial, que venha edificar e tornar virtuosa a vida, ou por tudo a baixo, destruir o que existe, para os profetas do futuro liderar o movimento de reconstrução do mundo, em busca de uma sociedade mais feliz e justa.

“O que me assusta não são as ações e os gritos
das pessoas más, mas a indiferença e o
silêncio das pessoas boas.”
(Martin Luther King)

         Não há como ficarmos indiferente do rumo, que a sociedade pode vir a tomar, cada um de nós é, na medida de nossas possibilidades, responsáveis pelos atos e consequências de nossas ações no mundo.
         Assim devemos buscar responder:
         Onde está a verdade?
         Ela é relativa?
         A partir de respostas coerentes e concretas, qual atitude a tomar?
         A ação, a prática é o começo da condução do movimento da vida no mundo, não há como sermos indiferentes ao enorme desafio que se apresenta diante de nós.
         A neutralidade é o maior dos males, pois torna estéril a ação do Homem na vida, e se quisermos entender o sentido da vida humana, é entendermos, que há uma chamado para a edificação de um legado, capaz de tornar as próximas gerações mais livres, felizes e justas. Este é o convite a vida, a ação, a escolha.

“Somos avaliados pelo que fazemos e deixamos de fazer.”
(Keller Reis Figueiredo)
 

 
Postar um comentário