Páginas

quinta-feira, 21 de julho de 2016

Podemos idealizar uma potencial 4ª onda na história humana?






É perceptível o limiar de uma nova fronteira a frente da trajetória histórica existencial da humanidade. Uma sociedade mais consciente, comprometida com a vida, exausta do uso e usufruto indiscriminado dos bens materiais. Preocupada com a sobrevivência e a sustentabilidade, a sociedade do ocidente está fundamentada sob valores religiosos e humanos, como a base da religião judaica e cristã, e o pensamento Greco Romano. Uma humanidade envolta a humanismo cultural e conectada com a possibilidade de transcender ao seu limite existencial.
O que pode vir com o surgimento de uma 4ª onda na história humana? Que onda pode surgir?
O conceito de produção, trabalho, distribuição, logística e consumo deve sofrer uma revolução, ou seja, proporcionar a expansão do tempo livre, um elevado aumento da produtividade, eficiência, eficácia. Parcelas da sociedade excluídas do consumo estarão sendo incluídas por uma necessidade de redução de custos e aumento de escala.
Assim estaremos caminhando para uma sociedade voltada para questões abstratas, relativas à sua formação humana, qualidade de vida, educação, moradia, saúde, mobilidade.
Um país rico não será medido pelo tamanho de seu PIB, mas pela qualidade de seu PIB, sua relação custo benefício com o bem estar social. Tecnologicamente estaremos menos dependentes de meios de transporte e comunicação de alto custo e consumo energético. A base de nossa sobrevivência em grandes centros urbanos será transmitida por redes de comunicação de baixo custo.
A relação de consumo, de geração de impostos, o papel do Estado e a forma de entender a vida, de sonhá-la e realizá-la, serão direcionados por nossos mais íntimos desejos, ainda por serem revelados a partir do futuro a ser materializado. Um futuro possível em um período de 50 anos.
Será o império da tecnologia da informação? Com quais desdobramentos podemos sonhar? Até onde a criatividade humana poderá ser realidade? Vamos refletir e trocar ideias, por um futuro destinado a próxima geração.
A vanguarda intelectual tem o compromisso existencial de mostrar as possibilidades de um futuro por se materializar. A relação de força entre os desprovidos de oportunidades e os que vivem em abundância deve caminhar para um equilíbrio, para eliminar a possibilidade de um conflito social. A construção da justiça e paz social é uma necessidade para fortalecer o sentido da existência das instituições sociais, e evitar o surgimento de uma anarquia. A sociedade está por se definir o que será...


Postar um comentário