Páginas

domingo, 23 de março de 2014

A Epiderme Política !


           O Brasil vive um momento político interessante, poderíamos chamar de “Epiderme Política”. O que seria esse processo? O que retrata este estado existencial? Vamos tentar entender...
A Epiderme é a camada mais superficial da pele, ou seja, a que está diretamente em contato com o exterior, está na superfície sem profundidade. Assim tenho a impressão de que estamos vivendo um Brasil de curto prazo, não conseguimos aprofundar, estamos no primeiro nível de debates e construções de ideias, não há uma projeção de futuro, o campo de visão é curto, com a duração de um ano.
Se desejarmos pensar um Brasil no médio prazo, estaríamos vivendo uma “Derme Política”, e o que é a Derme? Camada intermédia da pele, localizada logo abaixo da epiderme. Estaríamos localizados a um segundo nível existencial, com a duração superior a um ano e inferior a cinco anos. Integrado na dinâmica das eleições presidenciais, que são de 4 em 4 anos, só conseguimos construir ideais políticas com a duração de um mandato presidencial, não conseguimos ir além.
Assim não pensamos um Brasil de longo prazo, nunca chegamos a vivenciar uma “Hipoderme Política”. E o que é a Hipoderme? A camada profunda da pele. Localização na qual podemos pensar em uma existência de longo prazo, programas, ideias, projetos, planejamentos políticos acima de 5 anos, o que demonstra ser suficiente para pensamos um Brasil para o futuro, ou seja, dar início, pensarmos e realizarmos as reformas necessárias para a modernização e o crescimento consubstancial do país.
Vivemos um problema estrutural, e como podemos mudar este processo de infantilização da nação?
Hoje não sonhamos, não idealizamos, não debatemos os reais objetivos e necessidades do país no campo político, avançamos de forma lenta e curta estensão, e caso venhamos a desejar uma espectativa diferente para o Brasil. O que fazer? Não teríamos a necessidade de aumentar para 6 anos o tempo do mandato presidencial? Ou seja, criarmos a condição para atingirmos a “Hipoderme Política”?
Acredito que não se constroi empurrando, mas realizando de forma pensada, planejada e idealizada. É um projeto que em muita das vezes é de longo prazo, acima de 5 anos.
Se hoje o Brasil não tem um estadista na nossa política, com carisma e força suficiente para propor reformas, talvez seja porque não temos tempo para construção política deste líder. Um líder que provoque que realize que a história poderá falar e demonstrar com orgulho as realizações e transformações que torne o país melhor.
Será que não chegou a hora de pensarmos o lugar e o tempo da política no Brasil?
O Brasil está carente de um líder estadista de longo prazo! Um líder que governe com conhecimento e habilidade...
 
Postar um comentário