Páginas

domingo, 22 de fevereiro de 2015

Novas Práticas Pedagógicas no Brasil !

 
         Ao fazermos uma reflexão sobre as atuais práticas pedagógicas ministradas pelos professores no Brasil. Podemos comentar sobre a existência de material extra, que circula nas escolas (públicas ou privadas), que é o indicado pelos manuais didáticos e, muitas vezes, não reflete a realidade do aluno. Para superar o problema, os professores solicitam novos materiais que possam trazer algo novo para o processo de ensino-aprendizagem. Tenta-se fazer uma adaptação para a realidade mais próxima possível do aluno, para assim estimular o aprendizado em todas as disciplinas.
         Constata-se que há um desafio: o de trabalhar com os meios de comunicação de massa, que é uma alternativa para enfrentar as condições péssimas de trabalho na educação básica, e oferecer aos alunos uma condição de aprendizagem mais construtiva e crítica. É uma forma possível de se reinventar as aulas, para poder enfrentar o chamado “descompasso”, a situação presente vivida pelas escolas dos ciclos fundamental e médio diante dos meios de comunicação e das novas tecnologias. Entende-se, que os meios de comunicação também são fontes de educação “não-escolar”.
Podemos concluir que todos reclamam e querem mudanças, alunos, pais, professores, a sociedade. Assim é preciso dar as condições para tanto, é um enorme esforço de formação do magistério tendo em vista estas novas realidades. Ou seja, há que se combinar pesquisa, reflexão e ação, num movimento cujo resultado retorne o mais rapidamente possível ao espaço escolar. Pois os atuais alunos já são nativos digitais, recorrem continuamente às novas tecnologias para a solução de seus problemas e aprendem novas formas de interagir com o mundo que os rodeia.
Propõe-se como uma nova forma de prática pedagógica, a aplicação do jornal impresso, quando possível o digital, que é o meio mais barato e acessível para se trabalhar em sala de aula, principalmente, quando a escola não dispõe de recursos tecnológicos, como Datashow e computadores. Os meios de comunicação vigentes podem contribuir enormemente na tarefa de modernização da Educação Formal do país, a que se fazer uma reflexão e abrir uma discussão sobre como os meios de comunicação podem trabalhar em parceria com as instituições de ensino. Com a revolução digital em curso e o acesso às múltiplas plataformas de comunicação, abre-se a oportunidade de criarmos uma revolução educacional no país. Os conteúdos didáticos podem ser digitalizados, universalizados e padronizados, com o objetivo de alcançar o nível de excelência da educação Infantil, Fundamental I, Fundamental II, Ensino Médio e os Cursos Técnicos Profissionalizantes.
Podemos compreender que com o exemplo do jornal são realizados dois trabalhos:
a)     Leitura dos jornais produzidos pelas empresas midiáticas;
b)    Elaboração de veículos na própria escola.
Que venham a promover uma maior participação das comunidades locais no acompanhamento da evolução da escola e suas práticas pedagógicas.
Embora, a formulação do jornal em sala de aula, muita das vezes fique restrita ao professor de Língua Portuguesa, no entanto, os periódicos devem ser produzidos por outras disciplinas, como a Filosofia, por exemplo.
A participação dos meios de comunicação vigentes e a utilização das plataformas de comunicação do meio digital é uma proposta para a modernização da escola, fazer com que a escola atenda às necessidades da população. É um movimento de reação contra o ensino tradicional. O jornal impresso ou digital é um exemplo que se torna indispensável no processo de ensino-aprendizagem. É a possibilidade dos alunos expressarem as suas ideias e assim fazer com que o rendimento escolar do discente aumente.
 
 
Postar um comentário