Páginas

quinta-feira, 30 de janeiro de 2014

A diferença entre a Lógica Matemática e a Lógica Dialética !

Na tradição clássica, aristotélico-tomista, lógica é o conjunto de estudos que visam a determinar os processos intelectuais que torna condição geral do conhecimento verdadeiro.
A lógica matemática é um conjunto de estudos tendentes a expressar em linguagem matemática as estruturas e operações do pensamento, deduzindo-as de número reduzindo de axiomas, com a intenção de criar uma linguagem rigorosa, adequada ao pensamento científico como tal como o concebe a tradição empírico-positivista, lógica simbólica. Para se resolver um problema utilizando a lógica matemática: Organizam-se as ideias, fazem-se as hipóteses e através de uma lógica coerente obtém-se a conclusão, que é precisa e imutável, ou seja, é estático, não está em movimento ou transformação.
A lógica dialética é um conjunto de estudos, originados no hegelianismo, que tem por fim determinar categorias racionais válidas para a apreensão da realidade concebida como uma totalidade em permanente transformação. Essa lógica é imprecisa e mutável, tem como característica a contradição, a totalidade, a ação recíproca, a síntese. A lógica dialética promove a absorção, a integração e superação de sínteses já estabelecidas por novas ideias e até antíteses, provocando um debate e diálogo sobre o tema em questão, o que ocasiona um movimento, um deslocamento do pensamento no tempo espaço, ou seja, uma evolução de atitude e comportamento para as novas demandas do presente rumo ao futuro.
Hoje vivemos um embate metodológico, ideológico, onde um grupo de pessoas, intelectuais, educadores, formadores de opinião buscam entender o mundo e a vida humana através de uma lógica matemática, como se fossem detentores da verdade absoluta, e também existe outro grupo de pessoas, intelectuais, educadores, formadores de opinião que buscam entender o mundo e a vida humana através de uma lógica dialética. O que parece ser mais coerente e adequado, pois a história da humanidade revela não ser uma ciência exata, sem vertentes positivistas. Estamos diante de uma sociedade que tem mais acesso a informação, que forma a sua própria opinião a partir de que vê, escuta, lê. Assim é desafiador o diálogo, a formulação de um discurso profundo, esclarecedor, transformador no sentido de proporcionar uma transcendência histórica. Para a contínua caminhada rumo ao desenvolvimento e plenitude humana, faz-se a necessidade de ter um comportamento de contínuo estudo e busca de um esclarecimento quanto ao que se passa na vida ao nosso redor. Para que sejamos movidos por uma filosofia que nos leve a um crescimento, desenvolvimento, amadurecimento para os desafios da vida e não por ideologias que não promovam à reflexão, o aprofundamento, a liberdade humana para formulação de opinião, política, comportamento, tomada de decisão rumo a uma sociedade, esclarecida, humanista, liberta e comprometida com a vida.
Para que fim utilizar a lógica, é uma escolha que está na mão de cada um, é uma escolha de como se quer entender a vida e viver, assumir que o homem não domina uma verdade absoluta sobre a vida, mas apenas uma impressão do que se passa a partir das próprias representações, é uma atitude que possibilidade a caminhada, a continuidade e a esperança de dialogar com as diferentes vertentes do pensamento humano. É um convite ao descobrimento...

Postar um comentário