Páginas

quinta-feira, 10 de novembro de 2016

O Fim do Currículo Moderno para o Currículo Pós-Moderno !




         O pós-modernismo é um movimento intelectual que afirma que estamos vivendo uma nova época histórica, a Pós Modernidade, diferente da modernidade. O pós-modernismo não constrói uma teoria coerente e unificada, mas um conjunto variado de perspectivas, que abrangem com diversidade os campos intelectuais, políticos, estéticos e epistemológico. Tem início em algum ponto da metade do séc. XX. Questiona os princípios e pressupostos do pensamento social e político estabelecidos e desenvolvidos a partir do iluminismo. As ideias de razão, ciência, racionalidade e progresso estão na raiz dos problemas que assolam a nossa época.
         Ao efetuar uma reviravolta nas ideias e noções epistemológicas da Modernidade, o pós-modernismo tem importantes implicações curriculares. As nossas noções de educação, pedagogia e currículo estão solidamente fincadas na modernidade. O pós-modernismo desconfia das pretensões totalizantes do saber do pensamento moderno, questiona as noções de razão e racionalidade, fundamentais para a perspectiva iluminista da Modernidade, que em nome da razão e da racionalidade, instituíram sistemas brutais e cruéis de opressão e exploração. Ao invés de levar ao estabelecimento da sociedade perfeita do sonho iluminista, levam ao pesadelo de uma sociedade totalitária e burocraticamente organizada.
         O pós-modernismo coloca em dúvida a noção de progresso, centro da concepção moderna de sociedade. Para o pós-modernista o progresso só, não é algo necessariamente desejável e benigno. O controle e domínio da natureza, o avanço constante da ciência e tecnologia trouxe benefícios, mas também malefícios. E o saldo a longo prazo e negativo.
         O pós-modernismo ataca o sujeito racional, livre, autônomo, centrado e soberano da Modernidade. Guiado unicamente pela razão e sua racionalidade. Para Freud e Lacan, o sujeito não converge para o centro, coincidindo com sua consciência, é fundamentalmente fragmentado e dividido. O sujeito não é o centro da ação social. Ele não pensa, fala, produz. Ele é falado, pensado, produzido. Ele é dirigido a partir do exterior, pelas estruturas, pelas instituições, pelo discurso. Para o pós-modernismo o sujeito moderno é uma ficção.
         O pós-modernismo inclina-se para a incerteza e a dúvida, desconfiando profundamente da certeza e das afirmações categóricas. No lugar das grandes narrativas e do objetivismo do pensamento moderno, o pós-modernismo prefere o subjetivismo das interpretações parciais e localizadas. É o cenário de incerteza, dúvida e indeterminação.
         Assim, há uma incompatibilidade do currículo existente (moderno) com o a pós-modernidade. O currículo existente tem características da modernidade, linear, sequencial e estático. Sua epistemologia é realista e objetiva, é disciplinar e segmentada. Segue fielmente as grandes narrativas da ciência, do trabalho capitalista e do estado nação. O sujeito racional, centrado e autônomo da Modernidade está no centro do currículo existente.
         Da perspectiva pós-moderna, o problema não é apenas do currículo existente, é da própria teoria crítica do currículo. Que seguem princípios e linhas gerais da grande narrativa da Modernidade. Depende do universalismo, essencialismo, e do fundacionalismo do pensamento Moderno. Pondo em cheque os princípios emancipadores e libertadores das teorias críticas, que estão voltados para o domínio e controle da epistemologia moderna. A pedagogia tradicional e a pedagogia crítica acabam convergindo em uma pedagogia moderna comum.
         O pós-modernismo é uma radicalização dos questionamentos lançados às formas dominantes de conhecimento da pedagogia crítica, acaba com qualquer vanguardismo, qualquer certeza e qualquer pretensão de emancipação. O pós-modernismo assinala o fim da pedagogia crítica e o começo da pedagogia pós-crítica. O currículo tem que ser pensado em uma nova perspectiva para atender as necessidades do sujeito pós-moderno.
        
Bibliografia:
SILVA, Tomaz Tadeu da. Documentos de identidade; uma introdução às teorias do currículo / Tomaz Tadeu da Silva. – 2ª ed. , 9ª reimp. – Belo Horizonte: Autêntica, 2005.



Postar um comentário