Páginas

segunda-feira, 21 de agosto de 2017

A Transvaloração dos Valores no Século XXI !




         O primeiro valor a ser transvalorado é o valor econômico vigente, que produz o estilo de vida do Homem contemporâneo. Para manter o seu padrão de consumo, o Homem contemporâneo mais depreda do que conserva o meio ambiente em que vi. Para construirmos uma visão de mundo que vai além dos limites vigentes, precisamos realizar a Transvaloração do Valor econômico vigente, o capitalismo, e todas as suas formas de expressão.
         Entende-se que: “Transvaloração é rompimento com o homem ideal pela tradição para que se tenha o homem real, este que não segue e sofre as consequências de não aderir aos valores impostos. Transvaloração é o questionamento dos valores transmitidos como absolutos. É fazer uma releitura mais aprofundada, tirar a visão sagrada do ser humano”. (Alessandro Ferreira de Andrade Blanck)
         A sociedade do século XXI está no limiar da ruptura com o modelo econômico vigente, o capitalismo. Ela quer encontrar o equilíbrio, a sustentabilidade, a longevidade para a humanidade. É a busca da descoberta do Homem real, que supera os valores impostos através do questionamento e da releitura mais profunda da realidade, onde retira a visão sagrada do ser humano e o coloca em seu lugar no espaço e tempo. O Homem não é o centro da atenção, que tudo quer e poder, existem limites, e o desafio está em aprender a conviver com os limites, na medida em que se coloca a vida de todos os seres, como o maior dos valores. O atual estilo de vida do Homem propaga a morte.
         Segundo Machado (1999), Nietzsche testifica que a sociedade, enquanto poderosos e instituições, é a principal responsável por criar os valores para toda a humanidade, mas sempre julgando se são ou não nocivos a si mesma. (MACHADO, Roberto. Nietzsche e a verdade. p. 63)
         A sociedade do século XXI tem que ser uma sociedade que crie novos valores, aqueles que não advêm somente dos poderosos e suas instituições, mas que surjam de forma democrática do seio da sociedade. E avaliar o que é nocivo ou não é nocivo para a humanidade.
         Os valores não advêm só de leis ou instituições. Mas de um movimento social que questiona o que fora recebido até então pela imposição do poder econômico vigente, faz uma releitura no que fora passado de geração para geração como indubitável, pois isso engendra a revisão do que tem realmente valor, proporciona ao ser humano viver de forma mais autêntica, intensa, espontânea. E o valor econômico é o primeiro valor a ser transvalorado, por representar a base de subsistência da vida humana.



Postar um comentário