Páginas

segunda-feira, 21 de abril de 2014

O Filosofar Político !

 
Como membros da humanidade, cada um de nós em sua singularidade é um político.
Em que medida?
Ao utilizar das próprias habilidades para lidar com opiniões divergentes, estamos sendo políticos.
E por que não entender a política?
O que no sentido grego é o que trata da vida coletiva de um grupo de homens.
E também é tudo que concerne ao Estado, ao Governo, ou à arte de alcançar o poder ou dominá-lo, conservá-lo, etc. Como, também ao que se refere às questões sociais, à justiça, à administração e a todas as atividades da vida coletiva. É a habilidade na vida social ao tratar com os outros.
Sendo assim, é impossível deixarmos o ser político e exercer a política, seja na vida privada ou coletiva, de forma amadora ou profissional. Está na natureza das possibilidades existenciais da relação humana.
Se quisermos crescer do ponto de vista humano, temos que estudar compreender, praticar e até sonhar com a política. A sociedade é constituída de relações humanas e depende da política para subsistir. Então sejamos políticos na política.
Segundo Platão, o perfil ideal de um líder político é o de um filósofo: “Alguém que ama a sabedoria, tem disciplina, possui sinceridade intelectual, amor pela verdade e ódio à falsidade, ser temperante, despreocupado da riqueza, sem baixeza nem mesquinhez, possuir grandeza de alma, saber contemplar a totalidade do tempo e da realidade, não temer a morte, harmonioso em si mesmo, desprendido de bens materiais, sem pequenez, engano e vileza, possuir facilidade em aprender, boa memória, estar sempre pronto para aprender coisas novas, ser magnânimo, gracioso, amigo da verdade, da justiça, da coragem, da temperança.” Com qualidades tornadas perfeitas pela educação e pela idade.
O perfil que Platão pensa, é um perfil muito elevado, uma pessoa madura, perfeitamente formada nos seus conhecimentos e caráter, que tem como fim, o bem estar e a felicidade de todos os cidadãos. Parece ser um modelo ideal de líder político, presente apenas no mundo das ideias, mas devemos ter em mente que a construção teórica de Platão nunca é um fim em si mesmo, mas pensada com vista a uma práxis revolucionária do futuro. É a práxis que deve ser mudada, se a teoria for justa, e não estar a dever e adaptar-se a uma práxis injusta.
Vivemos tempos de mudanças possíveis e a possibilidade de promovermos uma alternância no poder vigente, cada cidadão é senhor de sua escolha, que se materializa no voto, assim sejamos idealistas, vamos votar em um líder mais próximo dos ideais platônicos, capaz de fazer do presente uma revolução para o futuro, é a teoria justa movendo à práxis política.
Temos além da liberdade, a oportunidade e o momento de pensarmos sobre as possibilidades do presente. Por um Brasil mais justo, conto com a união de todos em torno desta ideia...
“O Mundo Real e as coisas são apenas reflexo
de uma realidade perfeita contida
no Mundo das Ideias !”
(Platão)
 
 
Postar um comentário