Páginas

sábado, 24 de março de 2018

O Trabalho no Século XXI !



O trabalho é a capacidade que o ser humano tem de inventar e usar instrumentos, bem como de criar um mundo com elementos que encontra na natureza, que remete a um conceito filosófico importante: o trabalho, algo que só pode ser realizado a muito custo.

         Na religião, o trabalho muitas vezes assume um sentido depreciativo. Na narrativa bíblica, o castigo de Adão por seu pecado foi trabalhar para garantir o próprio sustento.

         Na mitologia, o poeta grego Hesíodo (750 a.C. à 650 a.C.), em seu poema épico “Os trabalhos e os dias”, descreve, em certa parte, uma época em que a Terra era habitada por homens de ouro, que não precisavam trabalhar.

         Para muitos pensadores, o trabalho é o que nos define como seres humanos, mais até que a racionalidade.

         Além de Homo sapiens, o ser humano pode ser considerado Homo faber, um ser capaz de fabricar ou criar com uso de ferramentas e da inteligência.

         O labor, segundo Hannah Arendt, corresponde à classe de atividades diretamente relacionadas à manutenção da sobrevivência e que se esgotam na própria atividade. O cultivo de um alimento, por exemplo, é uma atividade que se esgota no consumo desse alimento. Nesse sentido, o ser humano seria um “Animal laborans”.

         Os resultados do trabalho são sempre meios para a realização de um fim: a cadeira, por exemplo, serve para sentarmos nela e, sem essa finalidade, ela perde sua razão de ser. O trabalho é uma ação consciente e ordenada para um fim útil. E qual é o fim útil para Homem do século XXI?

         A quem entenda que o trabalho do século XXI é uma rotina alienante do assalariado, definida pelo exercício do esforço físico ou mental em troca de remuneração monetária, o qual, afinal, acaba resultando no esfacelamento do trabalhador como ser social total.

         O Homo faber está sujeito a um tempo útil, o ritmo de trabalho que visa a otimização da produção se de bens ou serviços, que em geral desconsidera a felicidade e o bem-estar do trabalhador. O Homem é visto como coisa, o trabalho livre, que deve caracterizar a existência humana em oposição a mera animalidade, acaba se tronando um fator de desumanização na sociedade capitalista neoliberal do século XXI.

         A relação do capital e trabalho divide a sociedade em classes sociais – capitalistas e trabalhadores assalariados – e a relação entre trabalho e capital forma a base da economia.

         Existe justiça social no trabalho? Para que uma sociedade seja de fato justa, é necessário que exista um equilíbrio entre a distribuição de riquezas e que os interesses e as oportunidades sejam partilhados. Como estão nossas sociedades? As sociedades do século XXI são justas?

Com a predominância do capitalismo neoliberal, se faz predominar a ideia de que a livre iniciativa e a concorrência é que devem ser a força reguladora dos meios econômicos, ou seja, da relação capital versus trabalho.

Uma alternativa a esta forma de pensar é o socialismo e suas vertentes: Que defende o fim do sistema capitalista e a reorganização da sociedade e da economia sobre novas bases.

Qual será o próximo passo evolutivo das sociedades do século XXI? O Homem é um ser em constante evolução, ou seja, em constante transformação. Para onde que o Homem irá se transformar?








Postar um comentário